sexta-feira, 15 de maio de 2009

De vez em quando é daqueles de orelha à orelha. Noutras vezes são desses mais singelos e disfarçados.. Bem de canto, como se fossem um crime..

De vez em quando é dos que fazem doer os maxilares e as bochechas.. Mas noutras são dos mais bobinhos.. Que você pode ver só pelo brilho discreto do olhar..

Mas ultimamente.. E é esperado que seja por um tempo consideravelmente longo e satisfatório.. Têm sido daquele que te faz ver o sol mesmo o que o céu todo esteja nublado. Daqueles que dormem com você, que acordam com você, que saem contigo e não te deixam. Meus sorrisos..

3 comentários:

Vitor disse...

Nada mais belo, nem nada mais puro. Espero que o mantenha sempre, mesmo que os motivos variem.

Plínio Gomes disse...

Por correlação, li em 'A cartola" coisas sobre o olhar e chego aqui e encontro o sorriso. Duas formas de se ler alguém e a nós mesmos. Perfeito. Voltarei sempre.
Abraço perfumado

Anitha Rosenrot disse...

"Daqueles que dormem com você, que acordam com você, que saem contigo e não te deixam."
Lindo,Ana!
Eu espero que teus sorrisos continuem assim por muito tempo...
O meu ,equanto te lia, foi de orelha a orelha .